Inauguração da Casa da Música da Ospa

0
239

Após 68 anos de espera, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre finalmente pode se apresentar em uma casa própria. Localizada no Centro Administrativo Fernando Ferrari, em Porto Alegre, a Casa da Música da Ospa foi inaugurada no último sábado (24). O espaço de 2,5 mil metros quadrados no CAFF, com capacidade para 1,1 mil espectadores, foi cedido por um prazo de 30 anos.

Antes do concerto de inauguração ser iniciado, o diretor artístico da Ospa, Evandro Matté, relatou ao público que houve um problema técnico que gerou falta de energia no dia anterior, o que acabou atrasando a preparação da Casa. Matté pediu desculpas às pessoas que estavam sentadas em cadeiras – cerca de duas dezenas.

– Esse desconforto vai ser compensado com música de muita qualidade ainda – garantiu o maestro, que regeu o concerto da Ospa de inauguração.

Além das poltronas que faltavam ser instaladas, a Casa ainda precisaria de uns retoques. Como as obras foram finalizadas nesta semana, ainda era possível sentir o cheiro de tinta nos corredores, e havia a presença de goteira na entrada do restaurante. Mas nada que prejudicasse o espetáculo ou a música da orquestra, como destacou o consultor acústico do projeto, Marcos Abreu.

–O espaço (da Casa) já era um auditório, e a gente acabou fazendo uma adaptação, ajustando as dimensões e o tratamento acústico para que se tornasse uma sala para orquestra. Isso demandou um voo cego de materiais e de tratamentos para conseguir chegar nesse desempenho, que está me agradando bastante, e o que tenho ouvido das pessoas também. Estou bem contente com o resultado. Alguns ajustes ainda vão rolar: está 95% pronto, só pequenos detalhes para ajeitar – explicou Abreu.

Antes do concerto, o secretário estadual da Cultura, Victor Hugo, realizou um discurso exaltando todos que trabalharam no projeto da Casa da Música da Ospa, apesar das dificuldades. Para isso, declamou uma frase que disse ter visto nas redes sociais:

– Não sabendo que que era impossível, foram lá e fizeram.

Depois, foi a vez do governador José Ivo Sartori (PMDB) discursar. Em sua fala, ele enalteceu as parcerias que possibilitaram a Casa e falou em semeadura.

– Sempre procuramos plantar a semente da mudança, tanto no nosso Estado quanto na nossa vida. E ela com certeza foi plantada há 68 anos atrás, e hoje está aqui presente – refletiu o governador.

Sartori ainda declamaria trechos da música Semeadura, escrita por Vitor Ramil e José Fogaça (“Nós vamos prosseguir, companheiro / Medo não há / No rumo certo da estrada / Unidos vamos crescer e andar”).

Após as execuções solenes dos hinos do Brasil e do Rio Grande do Sul, a Ospa abriu o concerto com M’ba Epu Porã, peça especialmente encomendada para a inauguração ao compositor Arthur Barbosa, violinista da Ospa. O programa seguiu com  Rhapsody in Blue, de George Gershwin, que contou com o pianista brasileiro de origem romena Cristian Budu como solista. Após um intervalo, a orquestra executou Sinfonia nº 9, de Dvorák, também conhecida como Sinfonia do Novo Mundo – que simbolizaria o novo mundo da Ospa em sua casa.

Para o público que assistiu ao concerto, o sentimento geral era de satisfação com o lar definitivo da Ospa. O resultado foi surpreendente para alguns.

– Fiquei encantando. Achei que seria mais precário. As instalações são boas, apesar de haver algumas improvisações ainda – apontou Marcelo Spohr, engenheiro químico, 61 anos.

Sua mulher, Maria Inês, também ressaltou outro fator importante para o público.

– O fato de aqui ter estacionamento ajuda muito – indicou a médica de 58 anos.

A Casa também foi aprovada pela professora aposentada Marta Colombo, 67 anos:

– Achei tudo sensacional. Uma grande aquisição para a Ospa, que depois de 68 anos estava mais do que na hora de ter seu próprio espaço.

Para o músico Hique Gomez, a Casa da Música da Ospa é também uma grande conquista para a comunidade artística.

– Já diria Erico Verissimo: a minha cidade tem uma orquestra sinfônica. Isso quer dizer que Porto Alegre tem uma cultura musical. No momento que no Brasil as coisas estão caindo ou  fechando, além de orquestras estarem sendo solvidas, nós estamos inaugurando um teatro maravilhoso. Mais um espaço que vai poder ser usado para outras coisas, mas que especialmente é uma casa sinfônica – pontuou.