PR – I Interestadual de Bandas e Fanfarras em Sengés

0
149

Sengés – O PARAÍSO ESPERA POR VOCÊ!

Uma das mais deslumbrantes belezas naturais do Paraná está em Sengés, que vem se tornando referência no turismo nacional e estadual. Localizada na região noroeste do estado, a 270 km de Curitiba e 362 km da capital paulista, o município tem 20 mil habitantes distribuídos pelas zonas rural e urbana.

O nome Sengés é uma homenagem ao engenheiro Gastão Sengés, responsável pela construção do trecho da estrada de ferro que cortava a cidade.

Com um passado cheio de história, os primeiros moradores chegaram por volta de 1883, atraídos pelo solo e riquezas naturais. Em 1930, a cidade também virou passagem de combatentes da Revolução de 30, os quais ficaram por muitos dias utilizando das fazendas para concentração e igreja como “hospital” para soldados.

Com a economia fortemente direcionada ao ramo madeireiro, Sengés é referência no setor e considerada a “Capital da Madeira”. É um destino de inúmeras belezas naturais, de refúgio rústico e tranquilo, além de atrações de aventura, como rapel nas cachoeiras.

O QUE FAZER

DIVERSÃO E LAZER

Além das belezas naturais, Sengés possui locais de lazer para turistas, como o Centro de Lazer Belo Vista, que conta com espaço e atendimento planejados aos visitantes. Há chalés, piscina, passeios a cavalo, entre outras opções.

CACHOEIRAS

O município tem cerca de 23 pontos turísticos com mais de 60 cachoeiras distribuídas em diversos pontos. O acesso para estes principais pontos é por estradas principais da zona rural, facilitando a chegada e visitação dos turistas. É aconselhável a presença de um guia de turismo nestas visitas, para melhor localização e segurança dos turistas.

DICAS

FESTAS
O município resgata, cada vez mais, a tradição dos eventos culturais e religiosos. O Baile para Escolha da Rainha, Festa do Peão, Festival de Quadrinha, Desfiles Cívicos, Festa em Louvor a São Sebastião – padroeiro da cidade, fazem parte do calendário festivo anual.

MOTOS
Sengés promove eventos voltados ao turismo que deixam o município mais visível. Exemplo disso é o Trilhão (motos) e o Cicloturismo, que nos últimos anos atraem além de adeptos das modalidades, grande número de turistas.

LUGARES MAIS VISITADOS

Cachoeira do Sobradinho
Canyon do Jaguaricatu
Centro de Lazer Bela Vista

PASSEIOS

Cachoeira do Sobradinho

Um verdadeiro espetáculo da natureza. Com uma queda de aproximadamente 40 metros de altura, a Cachoeira do Sobradinho é uma parada obrigatória para quem visita a cidade. É um lugar que transmite paz e tranquilidade, ótimo para passear, refrescar-se nas águas cristalinas e vislumbrar a paisagem extraordinária.

Cachoeira da Erva Doce

A Cachoeira da Erva Doce é uma belíssima queda de cerca de 20 metros de altura. Debaixo dela tem uma pequena gruta. É um local que conta também com uma praia natural.

Parque da Barreira

No paredão de arenito em volta do Rio Itararé, que divide o Paraná de São Paulo, é possível contemplar uma belíssima paisagem. De um lado, a calmaria; de outro, a agitação das águas do rio. Dali saem centenas de andorinhas de seus ninhos, formando uma bela visão da natureza. O retorno das aves ao entardecer é outro espetáculo. O acesso ao local é apenas pelo lado paulista.

COMO CHEGAR

Por estar na divisa com São Paulo, é possível chegar em Sengés através das rodovias PR-151 (sentido Jaguariaíva) e pela PR-239.

ONDE FICAR

Sengés conta com hospedagens diversas, que variam de acordo com a procura dos turistas, desde acomodações mais simples até chalés do Centro de Lazer Bela Vista.

GASTRONOMIA

O prato tradicional de Sangés é o arroz com frango, com origem no tropeirismo. Nos séculos XVI e XVII, o frango caipira era o alimento mais consumido durante o transporte de gado e riquezas do Sul para o Sudoeste brasileiro.

GALERIA DE IMAGENS

  • Cachoeira das Comadres
    Cachoeira das Comadres
    Foto: Beatriz Ribeiro / Prefeitura de Sengés
    Cachoeira das Comadres
    Foto: Beatriz Ribeiro / Prefeitura de Sengés

SENGÉS –  cidade das tribos, das tropas, dos trilhos e das toras.

A cidade que esteve presente nos dois principais momentos da História do Paraná nos últimos dois séculos: o Tropeirismo (XVIII e XIX) e a Revolução de 1930. O município de Sengés, situado no nordeste do Estado do Paraná já foi berço dos índios das etnias Kaingang, Guarani e Xetá e deu início ao seu processo de colonização entre os séculos XVIII e XIX. Neste período a região meridional do país possuía uma economia voltada para o ciclo do gado. Através de um sistema de caminhos que ligava o Sul do Brasil até a província de São Paulo, desenvolveu-se um intenso comércio entre essas regiões, promovendo a sua integração e o surgimento de inúmeras vilas e cidades nos locais por onde os tropeiros passavam. A então 5ª Comarca da Província de São Paulo, hoje Estado do Paraná, mantinha comunicação intensa na região dos Campos Gerais com a Província de São Paulo, através da Estrada da Mata. Por esta estrada deslocavam-se tropas de gado muar e bovino, provenientes de Viamão, no Rio Grande do Sul, com destino à feira de Sorocaba, em São Paulo. Devido a esta atividade econômica, formaram-se, no atual território paranaense diversas vilas, que deram origem às cidades.