PLANETABANDAS – CNBF – XXV CAMPEONATO NACIONAL DE BANDAS E FANFARRAS 2018

3
1112

INÍCIO

Como acontecem todos os anos (apenas quebrando este ciclo em 2015), o evento mais aguardado pelas bandas e fanfarras de todo o Brasil é o Campeonato Nacional. Este campeonato é realizado pela CNBF (Confederação Nacional de Bandas e Fanfarras), que tem sede em Lorena – SP. Esta já é a vigésima quinta edição, que já teve sua realização em diversos estados brasileiros, mas mais presente nos estados do sudeste (São Paulo, Santa Catarina) e Nordeste (Aracaju e Recife).

O PlanetaBandas, pela primeira vez, e de forma independente, sem qualquer vínculo com a CNBF, já havia se prontificado a levar o nacional para todos os seus admiradores, amigos e simpatizantes. E tudo começou lá no aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

A “NOVELA” ATÉ RECIFE

Em uma reportagem anterior (que você pode acompanhar aqui), já havíamos comentado sobre as participantes, os hotéis, os restaurantes, como chegar no marco zero de Recife, como chegar à Recife e principalmente como estaria o “CLIMA” para este nacional no nordeste. O que jamais imaginaríamos é que o tempo em São Paulo estivesse tão ruim, a ponto de atrasar o voo da equipe PlanetaBandas, marcado para sexta-feira (23/11) às 21:10, viesse a decolar quase 2 horas depois. Neste vai e vem, tivemos a companhia do amigo Aldo, da Stanford Instrumentos Musicais, que nos acompanhou até Recife, nessa “SAGA”.

Até ai, tudo bem, tempo, atrasos, sem problemas. Mas… devido a restrições de operação no Aeroporto de Congonhas, que FECHA exatamente às 23 horas, nosso voo foi cancelado e a companhia aérea fez tudo que pode para nos alocar num voo mais próximo. E essa nova alocação seria não só de voo, mas sim de aeroporto. Lá fomos nós para o Aeroporto Internacional de Guarulhos – Cumbica.

Em Cumbica, esperamos o nosso voo, que sairia às 6:10 da manhã já do dia 24/11. Para piorar, a chuva incessante naquela manhã mantinha o aeroporto fechado para decolagens.

Finalmente, conseguimos embarcar às 09:15 da manhã e chegamos em Recife as 11:30 (saindo do horário de verão, 1 hora a menos). Devido a este enorme atraso, a equipe decidiu por apenas estar fazendo os trabalhos no domnigo (26), principalmente das bandas marciais das categorias juvenil e sênior (master).

O EVENTO EM SI

Para participar do Campeonato Nacional, os estados filiados promovem seus campeonatos estaduais e as 2 primeiras colocadas de caca categoria técnica tem a vaga ao campeonato nacional garantida. Isso faz do Nacional, o evento mais importante. Sendo assim, o evento foi transmitido pela CNBF (por uma contratada) e acompanháva-mos às vezes. A equipe aproveitou o dia de sábado literalmente. Idas à Porto de Galinhas, Maracaípe, Muro Alto e Serrambi. Em Recife, a praia de Boa viagem foi o descanso de uma maratona de voos que havíamos passado horas antes.

Chegando o Domingo, a equipe foi até o local, onde encontrou-se com muitos amigos e conhecidos do meio de bandas e fanfarras, e em especial, com integrantes da diretoria da CNBF (presidente Waldenilson e vice-presidente Julio Ruffo, Raimunda , da AFAB-BA, Reginaldo Henrique Branco, da Ocifaban e Carlos Binder, de SP). Já com os materiais prontos, aguardamos o início das categorias juvenil e sênior de bandas marciais, para iniciar os trabalhos.

Como o PlanetaBandas não era a mídia oficial do evento, em primeiro momento, decidimos fazer nossos registros junto do próprio público presente, o que seria uma experiência nova. Registrar o que o povo e os músicos de outras corporações estavam achando do evento e ver o próprio evento na visão deste público, seria o nosso foco. Mas fatalmente, fomos “convidados” a participar do evento de dentro da pista. Ficam aqui nossos agradecimentos ao Alexandre (Xandão) de São Paulo, que providenciou credenciais de acesso à equipe.

Ao início da categoria juvenil de banda marcial, fizemos testes e já inciamos algumas transmissões. Por entender que já havia uma transmissão pela internet do Campeonato Nacional ocorrendo, por ética e respeito à todos, resolvemos fazer a transmissão da entrada das corporações e seus corpos coreográficos. Justamente os corpos coreográficos, que mais dão espetáculo para o grande público e são vistos em segundo plano pelas mídias do movimento. Aproveitando este ensejo, e firmando um pedido feito a nós pelo amigo Alexandre Polini, vamos a partir da Copa do Brasil de 2018 e em 2019, focar muito nos corpos coreográficos, balizas, balizadores e pavilhões de entrada, áreas que merecem nossos registros e divulgação.

Com apresentações magistrais, levantaram o público as bandas marciais juvenis da Escola Murilo Braga, de Jaboatão dos Guararapes – PE, a Banda Paulo VI de João Pessoa – PB, a Banda Normélio Moura da Costa, de Dias D´Avila – BA e a Banda Pedro Lins Vieira de Melo, de João Pessoa – PB.

UM FATO TRISTE NO DIA DO NACIONAL

No decorrer do dia 25 (domingo), todos no evento souberam da notícia do acidente que vitimou músicos da Fanfarra FAMOEB, que iria se apresentar em um evento na Bahia. Esta triste notícia consternou todos os presentes e a CNBF resolveu parar o evento por 1 minuto em sinal de luto e respeito. (confiram esta reportagem aqui).

MASTER? SÊNIOR? NÃO IMPORTA! O PEGA IRIA COMEÇAR

Desde que iniciamos os trabalhos em Recife, sabíamos da grande atenção do público, dos entusiastas e todos que acompanhavam o campeonato, das disputas que iriam acontecer na categoria Sênior / Master de bandas marciais. E não foi diferente do que todos esperavam. As apresentações foram verdadeiros espetáculos a céu aberto, tanto das corporações, quanto dos corpos coreográficos. Balizas, balizadores completavam o show, fazendo o público não arredar o pé até a última apresentação.

P.S.: Por motivos técnicos, infelizmente não concluímos as transmissões da categoria sênior. A CNBF manteve sua transmissão.

DESTAQUES

Como não podia deixar de ser, o grande destaque desta categoria era que apenas uma banda não era da região nordeste. a Banda Marcial Marista Pio XII – ABEC veio do estado de São Paulo (onde foi vice-campeã estadual), representar todas as corporações deste estado, e, oriunda de Ponta Grossa – PR, levou consigo toda a torcida das regiões Sul e Sudeste do Brasil.

A Orquestra de Metais e Percussão da Secretaria de estado da educação da Paraíba (OMPPB), a detentora do título de 2017, conquistado em Aracaju – SE, era a banda a ser batida. Defendendo o título, a banda abriu a categoria Sênior / Master com impecável entrada, musicalidade e rítimo. Um espetáculo.

As demais bandas da categoria, vinham por fora, mas com uma qualidade ímpar, tanto que foram credenciadas à participar na mais forte categoria do Campeonato Nacional. Seguem, além da OMPB e do Pio XII, as participações excelentes da Banda Marcial Augusto dos Anjos, de João Pessoa – PB, da Banda Nova Geração, da Mata de São João – BA, da Banda da EM Antonio Farias Filho, de Recife-PE e da Banda da Universidade Infantil, de Paulista – PE.

RESULTADOS, CONFUSÃO E DECISÕES

Não vamos aqui comentar resultados, decisões tomadas pela entidade máxima das bandas e fanfarras e repercussão destes fatos, mas infelizmente os resultados vistos no domingo, depois das apresentações das categorias do dia, mesclaram um clima de festa, alegria, junto com consternação, repúdio e revolta por parte de algumas corporações.

Pontuações extremamente próximas, questionamento de notas, revisão de somatórias são fatos que podem acontecer em qualquer competição no meio de bandas e fanfarras, mas o que aconteceu nos remete a problemas dos anos de 2007,2013 e 2017. Policia Militar acionada, spray de pimenta, empurra-empurra não fazem parte do movimento de bandas e fanfarras em nosso país. Fatos lamentáveis que não fazem parte do contexto de um campeonato de tamanha importância.

NOTA: O PlanetaBandas reserva-se ao direito de não fazer publicações referentes a estes casos.

A CNBF já tomou algumas resoluções a respeito dos fatos, e estas podem ser visualizadas diretamente em seu site, clicando aqui.

Enfim, com resultados publicados, seguem as classificações. Vocês podem fazer o download das planilhas de sábado (24/11) e domingo (25/11).

NOSSA EQUIPE TAMBÉM É NORDESTINA

Ficamos extremamente felizes e honrados de ver e nos entrosar com nossa colunista do portal PlanetaBandas e membro da equipe, a Shayelle. É o lado nordestino do PlanetaBandas, a qual temos muito orgulho de seu trabalho, tanto como musicista, quanto como colunista do portal.

UM OLHAR INTERNO DO CAMPEONATO NACIONAL

Como estivemos focados em bandas marciais das categorias Juvenil e Sênior / Master, uma grande novidade foi a integrante da Orquestra de Metais e Percussão da Paraíba (OMPPB), a Shayelle estar participando do evento como musicista (deve ser a pratista mais conhecida do Brasil. Graças a isso, muitas fotos que ilustram esta reportagem são dela, dos amigos do PlanetaBandas e de admiradores. Apreciem e compartilhem a vontade. E atenção: as fotos TAMBÉM vão estar em nosso álbum de fotos no Flickr, clicando aqui para acessar.

O PÚBLICO DO NACIONAL EM RECIFE

Muitos cumprimentos, conversas animadas, simpatia, carinho, alegria, ternura e respeito. O Campeonato Nacional em Recife mostrou a nós da equipe PlanetaBandas o quanto somos conhecidos e queridos. A receptividade do povo, das pessoas que não são do meio em querer conhecer o movimento, os relatos das pessoas emocionadas, as declarações espontâneas, o abraço de pessoas que nunca nos viram, o sorriso e a gratidão daquela pessoa que recebia nosso bottom, nossa humilde lembrança.

O PlanetaBandas se sente feliz, de dever mais que cumprido e agradecido a todos e a todas que mandaram e mandam mensagens, desde um simples “obrigado” até declarações platônicas de agradecimento, por não só mostrar um evento de bandas e fanfarras, mas sim explicar como esse evento vive, se movimenta, como ele é, de que forma agrega jovens e adolescentes, e como as músicas alegram e dão paz à todos.

Nos emocionam até abraços e cumprimentos recebidos desde a chegada à Recife, no tratamento a nós oferecido pela população, a educação, a gentileza e o obrigado. Para terminar, até abraço no aeroporto, desejando boa viagem e um obrigado pelo trabalho por nós prestado. Felicidade e emoção é o que nos reservou estes momentos inesquecíveis.

RELATOS QUE NOS EMOCIONARAM

Por diversas vezes no campeonato nacional, nossa equipe era abordada e as pessoas vinham nos dizer: “Que espetáculo lindo”, “Primeira vez que vejo isso ao vivo”, “Um evento na grandeza do marco zero”, “Melhor que carnaval”. 

Um relato que nos deixou bastante emocionados, foi de uma senhora de 79 anos: dona Izolina, que estava sentadinha em um banco de praça, em frente ao palanque principal. Dizia ela que estava ali, naquele domingo desde as 10 horas da manhã e só havia saído de lá para comprar uma garrafa de água. Estava aguardando o neto, que tocaria em breve, na banda marcial juvenil da Escola Murilo Braga, de Jaboatão dos Guararapes – PE. Indagada por que tanto tempo ali na espera ela disse para nossa fotógrafa Luana:

Fia, eu tenho saúde que Deus me deu. Mal enxergo mas ouço muito bem. Estou aqui alimentando minha alma com música boa, energia desse povo maravilhoso e só de saber que meu neto vai tocar, meu coração se alegra. Quiça isso acontecesse todos os fins de semana aqui no marco zero“.

Nesse momento, tanto a Luana quanto a dona Izolina vieram as lágrimas…

O QUE ESPERAR DO NACIONAL 2019

O campeonato nacional promovido pela CNBF é muito aguardado por todos, e de uns anos para cá, pessoas se deslocam de vários estados para acompanhar, assistir e registrar este evento. Foi o que nós fizemos, com recursos próprios, independente de contrato ou arranjo. A equipe esteve presente para registrar e comentar sobre o evento do ano. Independente dos problemas que tenham ocorrido, o Campeonato Nacional tem se mantido como a vitrine das bandas e fanfarras para o grande público.

Mas o que esperar de 2019? Onde será este campeonato? Muito se fala que o mesmo seja realizado em Brasília, ponto central do país, onde podem convergir muito mais corporações, que não participam devido aos custos de translado. Mas seria só isso? Ou outros fatores impedem de que mais corporações participem?

Exemplo: da região Sudeste tivemos pouquíssimas participações, sendo sua grande maioria do nordeste.

Vale o registro da Fanfarra de Pauini, do estado do Amazonas, a corporação que mais viajou para se apresentar neste campeonato nacional. (a viagem destes alunos iniciou-se em Pauini para Boca do Acre (1.028 km), depois Rio Branco, capital do Acre, percorrendo mais de três mil quilômetros para chegarem ao local do concurso, na cidade de Recife, em Pernambuco).

Enfim…. se você, que está lendo esta reportagem quiser se manifestar, ao final, disponibilizamos um campo para seus comentários. Participe! Nunca se esqueça de que você faz parte do PlanetaBandas.

O RETORNO DA EQUIPE

A equipe PlanetaBandas retornou de Recife na madrugada do dia 26/11 (segunda-feira), chegando em São Paulo por volta das 06:30 da manhã. Foi a segunda vez em 2018 que estivemos em Recife (a primeira, foi na assembléia e votação da diretoria atual da CNBF).

Para nós, a satisfação em ter participado deste evento é o que nos move a sempre divulgar e difundir o meio de bandas e fanfarras em todo o Brasil. Independente também de não termos sido a mídia oficial (outra empresa fora contratada), levamos aos nossos amigos, simpatizantes e aos entusiastas do movimento, o que aconteceu em 2 dias de muita música, civismo e garbo nas ruas do Marco Zero de Recife.

Onde tiver uma banda e fanfarra se apresentando, o PlanetaBandas fará de tudo para estar lá, levando essa corporação ao grande público.

AGRADECIMENTOS

A equipe PlanetaBandas presente no local (Montanha e Luana) agradecem;

  • a equipe da GOL Linhas Aéreas Inteligentes, que fizeram o impossível para nosso embarque ser o mais rápido possível;
  • ao pessoal da Smiles, por verificar problemas com nossas milhagens, e corrigi a tempo;
  • a equipe do hotel Mercury Recife, pelo tratamento e ajuda;
  • ao Alexandre (Xandão) pela retirada e entrega de nossas credenciais à avenida;
  • ao presidente da CNBF, Waldenilson Cunha Costa, pelo apoio à nosso trabalho;
  • a Shayelle, pela parceria, pela alegria e respeito.
  • ao povo de Recife, pela acolhida
  • as corporações presentes, que nos cumprimentaram
  • à Deus, por termos ido e vindo em segurança, sem problemas.

DEDICATÓRIA

Dedicamos esta reportagem as vítimas do acidente com a fanfarra FAMOEB, da Bahia, e em especial ao amigo e eterno Fernando Bahia (em memória).


Texto: Marcio (Montanha) / Fotos: Luana e Shayelle (equipe PlanetaBandas)

3 COMENTÁRIOS