Crianças no Concerto Didático da Orquestra Sinfônica da USP.

0
285

Atividade educativa realizada pela OSUSP colocou crianças em interação com a orquestra com o objetivo de despertar a curiosidade e a sensibilidade.

No dia 13 de abril, sexta-feira, às 10h, a Orquestra Sinfônica da USP – OSUSP estreou seu novo Concerto Didático, no auditório do Centro de Difusão Internacional da USP – CDI. Essa primeira edição do evento foi exclusiva para as crianças atendidas pelos projetos do Circo Escola Bom Jesus e Espaço Girassol, realizados na comunidade São Remo, vizinha ao campus da USP.

A edição de 2018 foi elaborada em parceria com o Departamento de Artes Cênicas da ECA-USP e contou com o apoio do Programa Aproxima-Ação do Núcleo de Direitos Humanos da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP – PRCEU. A OSUSP apresentou um Concerto com intervenções cênicas, intitulado “Dominó Sinfônico”.

O projeto tem o objetivo de formar e fortalecer o desenvolvimento cultural e musical de alunos e professores, sendo que esse concerto, em especial, foi destinado para a faixa etária entre 6 e 10 anos (ensino fundamental). Além dessa edição, está sendo programada uma série de concertos especiais, divulgando a música sinfônica e camerística para a formação não só do público infantil, mas também de um público infanto-juvenil, além de outros segmentos da comunidade.

O concerto desta sexta-feira buscou contagiar as crianças das comunidades que se encontram nos acessos dos portões da Universidade e que já participam do Programa Aproxima-Ação da PRCEU-USP, para prestigiar o concerto desenvolvido pelo dramaturgo Pedro Rabello e pela diretora teatral Alice Máximo, que prepararam um texto alegre e divertido para atuação dos atores: Carolina Braga e Henrique de Paula, com a cenografia de Guilherme Rodrigues e figurino de Matheus Milanelli, todos estudantes da ECA-USP.

A orquestra foi regida pelo maestro William Coelho que apresentou um jogo temático de mais de 50 melodias que a humanidade tem ouvido há 300 anos, cujo arranjo foi desenvolvido por Adail Fernandes e argumento de Lúcia Carames Sartorelli, diretora da OSUSP.