A noite deste último domingo (08/12) foi especial para os alunos, pais e a equipe do Cempre Prof. José Limongi Sobrinho, no Botujuru. Na cidade de Senador Canedo, em Goiás, a Banda do Cempre conquistou pela segunda vez o campeonato brasileiro na categoria infantil. Formado por 52 componentes, com idades entre 8 e 14 anos, o grupo atingiu 99,22% dos pontos possíveis, fazendo a maior nota de todo o campeonato, considerando todas as categorias técnicas e faixas etárias. A competição, organizada pela Liga Brasileira de Bandas e Fanfarras, reuniu 46 bandas.

“A nossa Mogi da Música nos encanta mais uma vez ao conquistar o bicampeonato nacional na categoria infantil. Parabéns aos alunos, aos pais e toda a equipe do Cempre Prof. José Limongi Sobrinho por mais esta importante vitória. Que os nossos alunos continuem se empenhando e apresentando todo o seu talento neste projeto, que leva música a 11 mil crianças de nossa cidade”, disse o prefeito Marcus Melo. A banda integra, junto a 16 escolas, o projeto Pequenos Músicos… Primeiros Acordes na Escola, realizado pela Prefeitura de Mogi das Cruzes, por meio da Secretaria de Educação e administrado atualmente pela Sinfônica Mogi.

Concorrendo pela primeira vez, Heloisa Silva dos Santos, 9 anos, aluna de clarinete contou que superou o nervosismo para a apresentação. “O campeonato foi bem legal. Fiquei muito nervosa na hora, mas graças a Deus consegui fazer tudo certinho”, disse. A banda do Cempre Prof. José Limongi Sobrinho foi regida pelo coordenador do núcleo, o maestro Ewerton Ravelli. A Prefeitura de Mogi das Cruzes providenciou o apoio logístico para que as crianças participassem da competição.

O repertório apresentado pelos mogianos foi Turning Point, de Sean O’Loughlin e Suíte Infantil nº 1 de Ewerton Ravelli – Com 4 Movimentos (Samba Lelê, Se essa rua .fosse minha, Marcha Soldado e Atirei o pau no gato). Mateus dos Santos Moraes, que participou da conquista do primeiro nacional em Aracaju (SE) em 2017, comemorou a vitória. “Foi muito gratificante. Ganhar em Aracaju já tinha sido uma experiência muito legal. Muito obrigada pela oportunidade de feito esse sonho se tornar realidade”, disse o aluno de 14 anos, que toca clarinete.

Há quatro anos acompanhando a banda do Cempre Limongi, Fábio André Silva, pai da aluna de flauta Lívia Alexandra da Silva, destacou a importância do projeto na vida das crianças.  “A experiência que nós tivemos nos campeonatos tem sido de grande valia. O apoio da gestão municipal e a união dos pais tem feito a diferença. Elas ensaiaram muito e se esforçaram bastante para esta conquista. O projeto tira o máximo que as crianças têm e faz brilhas muitas estrelas, estrelas mogianas que são o futuro da nossa cidade”, disse. (Kelli Correa Brito)