EDITORIAL

O meio de bandas e fanfarras é lindo. É inspirador. É desafiador. É amigo. Mas às vezes, ele é cruel, desumano e lamentável. Atitudes homofóbicas, pejorativas e desnecessárias prejudicam e mostram o lado ruim de nosso meio musical e artístico.

No último dia 08 de Julho de 2018, no Cofaban da cidade de Santa Isabel – SP, a apresentação da Banda Marcial Lyra Santana de Parnaíba sofreu comentários homofóbicos e preconceituosos por pessoas que estavam no palanque de avaliação. Este fato foi constatado na gravação do evento, que no momento era transmitido ao vivo pela mídia social Facebook, para todo o país. Fato este, lamentável, e que está gerando grande repercussão, tanto de integrantes de linhas-de-frente, quanto de espectadores, músicos, maestros e dirigentes.

Infelizmente o meio de bandas e fanfarras no Brasil é um retrato do que acontece fora deste mesmo meio. A fala errônea dos que classificam as pessoas por cor, raça, preferência sexual, religiosa e gênero é um problema social, vindo de todas as classes, de todos os seguimentos e de todos os níveis. E isso, reflete-se no meio cultural das bandas e fanfarras.

Salientando à todos, infelizmente, que o preconceito, o pré-julgamento não é feito apenas entre pessoas, mas sim entre grupos de nossas bandas e fanfarras, de pessoas má intencionadas, de divulgadores do meio que não tem ética, de perseguições, de calúnia e difamação do trabalho de divulgação a qual o próprio PlanetaBandas foi e é perseguido. Sabemos o que é isso e a resposta é uma só: RESPEITO.

O respeito que falta em pessoas, em equipes, grupos de divulgação, corporações, e que deve ser como uma regra, um mantra. O Respeito a gênero, cor, raça, sexualidade. religião. O respeito ao trabalho, as pessoas que trabalham em eventos, a não mediocridade de uns, a ética, o coletivo e o foco em divulgação livre, sem ser fechada, restrita a grupos secretos ou invisíveis.

O Grupo PlanetaBandas, o site PlanetaBandas, o Grupo Fanfarras Brasil de Comunicação repudiam todas estas reações homofóbicas, de falta de respeito, falta de atenção e falta de educação. Reiteramos nossa função de levar a todos o meio de bandas e fanfarras, sem qualquer preconceito, a arte, a musicalidade, a técnica e a garra das corporações que lutam para estar vivas, acima de tudo. Aqui, falamos de bandas, fanfarras, linhas-de-frente, balizas, balizadores, maestros, eventos, associações, federações e dirigentes, com respeito e ética.

Que atitudes sejam tomadas, responsáveis sejam nomeados e punidos e que todos levem o RESPEITO e a UNIÃO de um meio que luta para existir, e tem em todos os seus, a alegria de fazer um trabalho de arte único, tradicional e cultural no Brasil.

Marcio Mazzi Morales – Montanha – Equipe PlanetaBandas  

 

5 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia. As pessoas não querem saber a quem elas ferem ou machucam com palavras que ofendem, eu sou totalmente contra este tipo de ação, se estes jovens e crianças estão aprendendo alguma coisa na música bandas ou fanfarras. E melhor do que estarem aprendendo coisas erradas, mas a educação vem de casa… temos que lutar contra este tipo de preconceito, isto é um desrespeito às nossas crianças…

  2. É lamentável, já não tem mais bandas e as poucas que existem e estão fazendo um trabalho sério, sempre tem um trouxa pra falar algo pra destruir!!! salada de fruta meu ovo!!!queria encontrar com esse idiota!!

  3. Compartilhamos e nos juntamos ao editorial. RESPEITO é a palavra de ordem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here