PE – Incentivador da música marcial em Pernambuco Waldenilson Cunha Costa morre no Recife, aos 63 anos

Segundo família, ele estava internado por causa de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

0
66

A música marcial perdeu, nesta sexta (10), um de seus maiores incentivadores em Pernambuco. Morreu, aos 63 anos, no Recife, o gestor de Ações Culturais da Secretaria Estadual de Educação, Waldenilson Cunha Costa. Segundo a família, Waldenilson estava internado havia 15 dias no Hospital d´Avilla, na capital pernambucana. Ele sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Ainda de acordo com a família, o velório ocorrerá no sábado (11), na quadra da Secretaria Estadual de Educação, na Várzea, na Zona Oeste do Recife. O enterro está marcado para às 10h de sábado, no Cemitério Vale da Saudade, em Igarassu, na Região Metropolitana. A viúva, Maria Costa, informou à TV Globo que ele deixou cinco filhos e cinco netos.

Waldenilson exerceu a função de regente da banda marcial do Ginásio Pernambucano, escola de referência localizada no Centro da capital. Ele também foi um dos fundadores da Associação de Bandas, Fanfarras e Regentes de Pernambuco e da Liga Brasileira de Bandas e Fanfarras.

Ex-secretário de Educação de Pernambuco no governo de Eduardo Campos, que morreu em 2013 em um acidente aéreo, Anderson Gomes lamentou a morte de Waldenilson. Ele disse que o gestor cultural deixou um grande legado. “Não tem preço”, afirmou. O professor Anderson destacou o trabalho desenvolvido pelo amigo. “Ele fez muito por esses meninos. Tirou muitos deles das ruas e deu uma carreira na música”, afirmou. Anderson lembrou que, ao assumir a secretaria, ouviu do ex-governador a frase sobre Waldenilson: “Cuide bem dele”, declarou. Para o professor, Waldenilson levou outros estados a difundir as bandas e fanfarras. “Nos entendemos o projeto dele e o trabalho virou referência”, destacou.