Doutor e Mestre em História Social (bolsista CAPES) pela Pontifícia Universidade Católica da São Paulo (PUC/SP). Especialista em Assessoria Parlamentar e Capacitação Política, pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Especialista em Psicopedagogia e Arte Terapia, Especialista em História da Arte: Teoria e Crítica e Especialista em Comunicação em Arte Educação pela Faculdade Paulista de Artes (FPA) – São Paulo – SP. Graduado em Educação Artística com Habilitação Plena em Artes Plásticas pela Universidade de Mogi das Cruzes – SP (UMC). Atualmente está Supervisor de Ensino da Secretaria de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação de Itaquaquecetuba, SP.

Professor na Universidade de Guarulhos (Campus Itaquaquecetuba). É Promotor de Eventos Educacionais, Artísticos e Culturais. Possui vasta experiência em funções de Direção, Coordenação e Chefia, bem como na área de Artes, com grande ênfase em produção geral de eventos. É integrante do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade – NEHSC da PUC/SP. Membro do Núcleo de Pesquisa de Carnavais e Festas, – NESCAFÉ – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Membro do Conselho Editorial Permanente da Editora CRV, Curitiba Paraná.

Autor do livro “As Múltiplas faces da comissão de frente da Escola de Samba no contexto da ópera de rua (1928-1999). UFA!!!!

Este é o ilustre convidado do PLANETAENTREVISTA nº 9, ao qual entrevistamos agora:

PLANETABANDAS: Todas as pessoas do meio de bandas e fanfarras já ouviram falar ou conhecem o Elizeu. Mas afinal, quem é o Elizeu de Miranda Correa?

PLANETABANDAS: Como iniciou essa trajetória envolvendo as linhas-de-frente?

PLANETABANDAS: Qual sua visão de hoje, das linhas-de-frente e de anos atrás? O que mudou?

PLANETABANDAS: A alguns amos atrás, e hoje resgatado por algumas linhas-de-frente, o estilo cênico é muito admirado e elogiado pelo público. Qual sua opinião a respeito?

PLANETABANDAS:  A regulamentação das linhas-de-frente nos campeonatos de bandas e fanfarras é o ideal? Seus comentários a respeito.

PLANETABANDAS: Temos visto estilos de linhas-de-frente bem diferentes dos anos 90 até hoje; Qual seria o estilo perfeito? Mais marcial ou mais visual?

PLANETABANDAS: Você já avaliou escolas de samba em desfiles de carnaval. Como foi a experiência? Alguma relação com as linhas-de-frente, numa forma abrangente?

PLANETABANDAS: No meio de bandas e fanfarras, sempre as linhas-de-frente tiveram e tem bastante integrantes homossexuais. Qual sua impressão sobre este fato?

PLANETABANDAS: Como será o futuro das linhas-de-frente em uma projeção de 5 a 10 anos?

PLANETABANDAS: Comente um pouco sobre o livro que escreveu?

PLANETABANDAS: Para finalizar, suas considerações finais e sua mensagem à todo o meio de bandas e fanfarras!

A Equipe PlanetaBandas agradece !!!

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here