O PlanetaBandas, com a série “PlanetaEntrevista”, leva a seus visitantes a impressão de diversas pessoas que fazem o meio de bandas e fanfarras no Brasil, em seus estados, em suas entidades. Conheça agora as idéias e opiniões de Sérgio Pacheco, presidente da ABAFAVI.

PlanetaBandas: Iniciando nossa entrevista com o presidente da ABAFAVI, sr. Sérgio Pacheco. Sempre neste início, deixamos aberto à pessoa para que se apresente.

Pacheco: Meu nome é Sérgio Pacheco, nascido em 13/09/1960 em Blumenau SC. Casado com Sandra Regina em 18/08/84, tenho 03 filhos e 01 neto. Resido na cidade de Jaraguá do Sul – SC.

PlanetaBandas: O senhor é o atual presidente da ABAFAVI, mas, o que é a ABAFAVI?

Pacheco: A ABAFAVI (Associação de Bandas e Fanfarras do Vale do Itajaí) é a Entidade representativa das Bandas e Fanfarras no Estado de Santa Catarina junto a CNBF. Foi eleita Entidade de Utilidade Publica na cidade sede Gaspar SC, e de entidade de Utilidade Publica no Estado de Santa Catarina, em andamento o titulo Nacional e foi criada após a extinção da FEBANFAESC, para dar andamento ao movimento de Bandas do Estado de SC. Vem num crescimento a passos curtos mas definitivos e tem em seus quadros de filiados cerca de 160 entidades do Estado, porém, cerca de 70 revezam-se nos Campeonatos Estaduais e Regionais, além da Organização do Estadual. Apoia os Eventos Regionais, têm apresentado diversos cursos neste tempo de atividade, dentre eles o Master Class – festival escola, idealizado e realizado em Blumenau em 2017, e já com edição 2018 em fase de preparação.

PlanetaBandas: Estivemos juntos dos dias 13 à 15 de Abril na cidade de Recife – PE, local da eleição da CNBF para a nova diretoria executiva e o Congresso Técnico da entidade. Na sua visão, como foram estas eleições na CNBF?

Pacheco: Venho a algum tempo defendendo a Credibilidade, a Transparência, a Visibilidade Política e popular, a Atuação efetiva da entidade em todo território Nacional, tanto que a proposta de filiação de toda e qualquer entidade representativa de bandas e fanfarras foi minha, aprovada em 2017 parcialmente limitando em duas entidades por estado. Precisamos penetração no meio Politico Nacional (Congresso Nacional) e nas Assembleias legislativas dos Estados, a muito tempo venho defendendo a criação das Bancadas parlamentares. São Paulo já colhe frutos, o Nordeste vem fazendo isso a muito tempo, prezam pela união, o que não acontece nos demais estados, onde alguns Dirigentes querem preservar seus Pseudos Feudos e não aceitam a chegada de outros. Uma burrice.

Eu defendia uma renovação na Entidade, tanto que deixei claro sempre a não participação minha na Diretoria e sim a indicação de três nomes de nosso Estado de pessoas com grande evolução Fernando Meschke, Snarff e Gilian. Defendia e defendo o comando de Waldenilson Costa, por seu trabalho realizado no Nordeste e por seu trânsito com o meio politico Nacional (aqui diga-se de passagem, Políticos Nacionais do Nordeste).

Acredito no divisor de águas da CNBF nestas eleições 2018, uma CNBF (antes de 2018 e uma nova CNBF a partir de agora)  pois não só Waldenilson, mas todos os eleitos, mesmo que provisoriamente, tem a Coletividade em primeiro lugar. Não podemos desmerecer a CNBF da era Ronaldo Faleiros que iniciou este movimento e a quem muito devemos, e muito menos a CNBF da era Rivaldo Dantas, que em 06 anos procurou acertar a parte contábil da entidade, e a este reverencio todo meu respeito.

PlanetaBandas: das cinco regiões do Brasil, a região sul também tem um movimento expressivo de bandas e fanfarras. Suas palavras à respeito da região sul neste contexto:

Pacheco: O movimento no Sul não tem apoio governamental. Aqui os governantes não dão o apoio que muitos estados tem, mas viemos num crescimento continuo, devagar é claro, mas estamos crescendo. Iniciamos um trabalho de UNIÃO entre as Entidades representantes e acredito que num espaço de tempo bem curto, isto se fara realidade.  A realização do Sul Brasileiro de Bandas em Novembro em Capão da Camoa, realização da ABLinorte, com apoio da Federação do PR, da AGB, e da ABAFAVI, e em conversas com outras entidades para também se fazerem presentes, é de grande importância para o movimento no sul do Brasil.

PlanetaBandas: Agora são questões simples e respostas diretas, tudo bem? Vamos lá!

a)Fanfarra Simples: Pacheco: É o início. Não podem acabar.

b)Marching Bands:  Pacheco: São a RAIZ de nosso movimento

c)Associações de outros Estados: Pacheco: Nós precisamos ser mais parceiros de todas as associações e federações.

d)Uma personalidade do meio de bandas e fanfarras? Pacheco: Maestro Rivaldo Dantas, por ter tido a coragem de colocar a casa em ordem. (CNBF)

PlanetaBandas: Já agradecendo ao Sérgio Pacheco pela entrevista, seu espaço aberto para suas considerações finais:

Pacheco: Torço por uma UNIÃO entre as ENTIDADES ESTADUAIS e que todos lembrem que as Corporações e os Integrantes são mais importantes que o seu próprio UMBIGO, que a COLETIVIDADE sobressaia sobre o INDIVIDUALISMO. Que os Pseudo Feudos sejam desfeitos (reforma agraria já nestes Feudos! (Risos)).

As diferenças pessoais não podem mais ter espaço em nosso meio. Eu diria assim:

“VAMOS LAVAR A ROUPA SUJA, JOGAR A ÁGUA FORA, E COM ROUPAS LIMPAS, VAMOS TRABALHAR PELO MEIO DE BANDAS E FANFARRAS”

“EU ESTOU DISPOSTO A ISSO.”

Lembro que nenhum de nós precisa levar para almoçar em casa e andar de braços dados com nossos “inimigos”, mas dentro das entidades estaduais e na CNBF, estas diferenças deverão ficar do lado de fora da sala. Ali, nossa discussão deverá ser sempre em prol do meio. 

Obrigado pelo espaço e agradeço ao pessoal do PlanetaBandas.

-x-x-x-x-x-

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here