As Fanfarras de Pirassununga

0
354

A cidade de Pirassununga – SP é muito conhecida e lembrada pela Base aérea da aeronáutica que fica no município e também pela fábrica de bebidas destiladas, das quais a mais famosa é a Cachaça 51 “uma boa idéia”.

Mas…

Segue o relato do Maestro Arnaldo Neto, grande conhecedor do meio de bandas e fanfarras e atuante nos eventos realizados no estado de SP, nas áreas de apuração de notas e locução.

AS FANFARRAS EM PIRASSUNUNGA

Falar em FANFARRA nos remete aos tempos de infância.

Porém nossos filhos estão sendo privados dessa atividade saudável!

Há alguns anos, nessa época, já ouviamos quase todos os dias uma fanfarra ensaiando na cidade. Hoje? Quase nenhuma!

Há mais de 25 anos venho acompanhando o sucateamento e o declínio das bandinhas escolares em Pirassununga.
Se não me engano, em 99, contei 24 bandinhas durante o desfile de 7 de Setembro. Isso quando não vinham bandas/fanfarras de outras cidades!

Ano passado foram 5 (Objetivo, CEDUC, EE Pirassununga, Loreto e ETEC). Durou 90 minutos. Todo o desfile. E em 2019?

Como falei na primeira Escuta Cultural, promovida pelo então secretário Kleber Gabriel Silva, nossa cidade só prioriza grupos profissionais (bandas sinfônicas e orquetras). Mas os grupos de base… NENHUM!

E quando tentamos montar um grupo, comprando instrumentos com dinheiro próprio, esbarramos com donos de comércio gritando que “não pode fazer ‘barulho’ aqui porque atrapalha os clientes”, ou “minha mãe é idosa e seu grupo não toca bem, prefiro a banda municipal”. CLARO! Até eu! Só que se esquece que aquele cara que toca na banda municipal passou pelas mesmas etapas do garoto com uma baqueta tocando “caixinha”. Se tivessem sido cerceados quando garotos, não teríamos banda municipal!

Bandas escolares são a porta de abertura para o mundo da música!
É ali que começa! É na paixão, mesmo na falta de técnica, nas dificuldades todas que se tem, que se aprende a gostar de música! O profissionalismo vem com o tempo, quando o aluno for fazer aulas para melhorar.

Diretores de escola não gostam do trabalho que dá uma bandinha, mas adoram expor um troféu de primeiro lugar em uma competição!
Que saudades da Profª Iara Bernardi… Uma pena ela (que é apaixonada pelo segmento) não ter tido condições de fazer nada por nós!
Se continuar assim, daqui a um tempo teremos um desfile de 7 de setembro assim:
– AFA
– Exército
– Corporação Musical
– Vento
Duração: 20 minutos.
Será que é isso que nossos governantes querem???????

E aquela chance de seu filho aprender a gostar de música, aprender a “batucar”, melhorar nas matérias da escola (sim, amiguinho, melhora sim), melhorar na disciplina em casa (sim, também melhora, e muito), NÃO VAI TER MAIS!

Isso sem contar outra coisa: a impressão que tenho, como instrutor, é que a Prefeitura faz um FAVOR em deixar a gente desfilar, e que nós estamos incomodando!
Os “fiscais” ficam toda hora gritando com as crianças “anda mais rápido”, “não pode deixar espaço”, “vai atrasar o desfile”, entre outras coisas que ouvimos!

Participei durante 4 anos do Conselho Municipal de Políticas Culturais, sempre apoiando as propostas da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, pois sempre achei que as propostas foram boas para a Cultura de Pirassununga. No início da gestão atual, voltamos tudo pra trás, por problemas que não vem ao caso, refazendo todo Sistema Municipal de Cultura, e só estão terminando agora as mudanças necessárias.

Saí do cargo de Presidente do Conselho por motivos pessoais, mas deixei bem claro para a Secretaria que estaria ao lado desta, mas não como conselheiro.

Nesses anos todos, a única coisa que pedi: que retomassem o concurso de fanfarras “Maestro Eufrozino Azevedo”.

Inclusive me disponibilizei a organizar TUDO, pois fui membro da Diretoria da Associação Paulista de Fanfarras e Bandas – OCIFABAN, onde hoje faço parte da equipe de campo, e também colaboro na Confederação Nacional de Bandas e Fanfarras, também na equipe de campo, e tenho o know-how pra fazer isso.

E quando passei um projeto para fazer o concurso de fanfarras no formato de batalha (que é o que se faz nos Estados Unidos e outros países do mundo), com um custo de US$ 300 para os jurados, o que ouvi foi que “não há verbas”.

É uma pena as últimas administrações de Pirassununga terem ABANDONADO as bandas escolares.

Esse é um desabafo de um instrutor, regente, que já viu cidades como Atibaia, Itapevi, Bragança Paulista, Taubaté, o estado de Pernambuco e praticamente todo o Nordeste, terem projetos musicais fortes, com centenas de alunos (milhares no caso de PE), todos aprendendo música, todos melhorando seu desempenho escolar, todos tendo a visão aberta para novos horizontes, e se afastando dos maus caminhos (drogas, crime, etc).
Infelizmente Pirassununga não vê isso.

Salvo engano, o último prefeito que fez algum investimento nas fanfarras de Pirassununga foi o finado prof. Fausto Victorelli.

Não precisa fazer o que ele fez. Não precisa dar US$ 1500 (foi o que ele deu na época) para as escolas.

Não! Basta fazer uma competição sadia, inteligente, bem pensada, com boa divulgação, e com bons incentivos, com parcerias com empresas privadas, que a coisa anda!

Quando será que um Prefeito, um Secretário de Cultura e um Secretário de Educação vão olhar com esses olhos, dando novas oportunidades para nossas crianças?
A esperança é a última que morre, mas a minha já está na UTI.

  • Algumas fotos das Fanfarras de Pirassununga – SP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here